segunda-feira, 2 de maio de 2011

Assim no Céu como na Terra - Capítulos 12 e 13


CAPÍTULO 12 – A Missão de Zefinha                

 
O tempo se passou. Já havia decorrido três anos e a colônia Novo Horizonte estava muito harmônica. Dona Graça iria receber alta e poderia morar em um novo lar, junto com sua tia, que já estava lá há alguns anos. Enquanto isso, Amélia estava se preparando para descer novamente para a Terra, junto com dona Zefinha.
Elas iriam para uma missão com o objetivo de ajudar alguns de seus familiares que passavam por muitos problemas na Terra. Zefinha estava muito preocupada com a sua filha, Joana que parecia não atender a seus apelos. Mesmo a visitando em sonhos, a moça não conseguia se modificar. Talvez, se Joana conseguisse vê-la e ouvi-la, poderia melhorar. Por isso, Zefinha estava se concentrando há algum tempo, para conseguir transmitir uma boa mensagem e recuperá-la.
Numa tarde, enquanto as duas combinavam sobre o quê iriam fazer ao chegar à Terra, tiveram a surpresa de receber em casa a visita de Clarice, mãe de Amélia:
Mamãe, que bom revê-la! Foi a melhor coisa que já me aconteceu aqui!
É muito bom te ver também! Mas, pena que só vou passar pouco tempo aqui, pois não posso me ausentar no trabalho que estou fazendo agora, resgatando pessoas em situações especiais.
Que trabalho bacana! Aqui só me aparece abacaxi.
─ Não fale assim, Amélia, também é muito bom ajudar as pessoas que estão vindo da Terra e se adaptando. Alias, você soube que seu cunhado Sebastião está próximo daqui?
Não... Nem sabia que Sebastião já tinha deixado a Terra.
Ele teve uma doença muito grave antes de vir para cá, mas já se encontra bem.
Onde ele está?
Numa colônia próxima a esta. Mas, para chegar lá é preciso passar por um caminho mais longo, pois, entre as duas cidades se encontram lugares onde os irmãos são mais agitados e podem atrapalhar a passagem. Além disso, é preciso ter permissão para ir.
Tudo aqui é uma chatice. É preciso de permissão, permissão...
Amélia, não seja rebelde, tudo depende do consentimento de superiores, que são responsáveis pela segurança de todos aqui. Você se lembra de quando entrou naquela sala proibida?
Nossa, você soube daquilo?
Claro! Sempre estarei ligada a você por laços sentimentais. Naquele momento, orei muito para que ficasse bem.
E Sebastião? Quando esteve com ele?
Eu fui aonde ele estava no mês passado, mas ele só conseguiu me ver em sonho. Mesmo assim, não precisa se preocupar, logo ele vai se adaptar à nova dimensão.
Quando for vê-lo outra vez, mande meu abraço a ele. Bem, daqui a uns dias irei para a Terra novamente.
Eu soube, e torço muito para que dona Zefinha consiga ajudar a filha.
Acho difícil, essa moça está vivendo de forma muito desatinada. Separou-se do marido e vive se embriagando.
De qualquer forma, tudo tem sua hora e, talvez, ela acorde a tempo. Amélia, quando for para a Terra, diga a sua filha que sempre gostei muito dela, nunca tive preferência por neto.
Eu sei, ela é um pouco ciumenta, mas agora está bem e está trabalhando como escritora. Espero que ela consiga esclarecer as pessoas e transmitir boas mensagens com seus livros.
Sei que irá.
Acho que não me acostumo mais com a Terra, acho tudo ali muito parado. ─ Disse Zefinha.
Mas, dessa vez você terá que se esforçar, pelo bem de Joana. Certo, meninas. Tenho que ir agora: o dever me espera! E ainda vou levar um bom tempo para chegar à minha colônia.
Que pena, venha outras vezes, já que não podemos ir lá. ─ Um dia vocês poderão, afinal todos nós evoluímos.

Capítulo 13 – De Volta à Terra

      Quando chegou o dia da viagem à Terra, Dona Zefinha estava um pouco doente. Mesmo assim, decidiu ir.
      ─ Quando chegar lá, você melhora, deve ser ansiedade ─ Disse Amélia para encorajá-la.
     ─ Pode ser, filha. Mas não se preocupe comigo. ─ Enquanto elas conversavam, Irmão Gabriel apareceu para avisá-las que o transporte já estava preparado e que elas já poderiam entrar. Dentro de pouco tempo iriam viajar Amélia, Zefinha e mais dois irmãos para dar apoio. Irmã Luísa também iria acompanhá-las a todos os lugares, pois Zefinha estava um pouco nervosa e Amélia ainda era inexperiente e poderia sofrer influência ao passar pelas esferas inferiores.
       Durante a viagem, tudo correu bem, mas Zefinha se encontrava um pouco ansiosa. Na Terra, foram ao lar de sua filha, Joana, mas ela não percebeu a presença deles, pois estava muito confusa.
      ─ Mas, como vou fazer para conversar com Joana? ─ Perguntou Zefinha.
       ─ Calma, Zefinha, logo nós vamos encontrar um jeito ─ Disse Amélia.
       ─ Por que Luísa não está aqui? Não percebi quando ela saiu.
       ─ Ela me disse que iria pedir ajuda aos nossos amigos.
Quando Luísa chegou, trouxe uma mensagem estranha: pediu para que elas fossem à igreja, pois a filha de Zefinha iria para lá. Mesmo sem entender direito por que deveriam ir, todos seguiram a orientação. Quando chegaram à igreja, Joana e sua filha, Marina, estavam rezando. Marina percebeu a presença de alguém por perto e notou que era muito parecida com a sua avó.
      ─ Mamãe, estou vendo a vovó Zefinha com uma moça. Ela pede para a senhora parar de beber e começar a se cuidar direito. Disse que só assim ela vai ficar feliz.
      ─ Que bobagem é essa, menina? Quando sua avó morreu você tinha apenas dois anos, como pode saber quem é ela?
      ─ Eu vi nos retratos do seu álbum, tenho certeza de que é ela.
      ─ Você deve estar um pouco cansada, Marina.
      ─ Eu só tenho quinze anos, mamãe, não me sinto nem um pouco cansada. Acredite, ela está aqui.
      ─ Mas... Será mesmo ela ? Se for, peço que me dê forças para que eu deixe de beber.
     ─ Ela diz que você deve se empenhar mais para esquecer o passado e viver o presente com amor. Ela te ama e estará sempre do seu lado. ─ Ao ouvir isso, Joana saiu aos prantos, prometendo que de agora em diante iria fazer de tudo para melhorar.
       Após falar com sua neta, Zefinha ficou muito emocionada e prometeu que iria fazer o possível para ajudá-la. No início, achou que seria difícil fazer Joana entender que precisava se esforçar para superar seus problemas. Mas, agora tinha muita confiança de que ela estava decidida e que iria conseguir se reformar.
      ─ Bem, Zefinha, acho que a mensagem surtirá efeito. Vamos deixar o resto nas mãos dela, tenho certeza de que Marina vai ajudá-la. Bem, terminamos por aqui, vamos agora à casa dos parentes de Amélia.
Na casa da família de Amélia, o ambiente estava melhor. Havia boas vibrações em volta de seus familiares. Ela, então, notou uma luz próxima a seus netos. Parecia vinda de algum anjo.
      ─ Graças a Deus eles estão frequentando bons lugares. Vejo também que meu genro está muito melhor.
      ─ Parece, irmã que eles estão no caminho certo. Devem sempre seguir com a caridade e amor ao próximo. É uma batalha constante na Terra. Sempre devemos combater o mal, pois a atmosfera ainda é pesada. Os pensamentos elevados e as boas ações nos auxiliam nas tarefas do bem, nos fazendo sempre transmitir ótimas vibrações.
     ─ Só o que me incomoda é que minha filha Cristina sempre pensa em ir antes da hora. Já lhe disse que isso seria uma grande burrada, pois deve pensar em aproveitar ao máximo seu tempo na Terra, já que terá vida longa.
    ─ É mesmo, além de que vai ter a chance de ajudar muitas pessoas. Tente dizer isso a ela em sonho.
    ─ Já disse, mais ela é muito teimosa! Pena não poder dar-lhe umas boas palmadas...
    ─ Irmã Amélia! ─ Repreendeu Luísa ─ Transmita-lhe paz para que ela se harmonize. Só o amor pode vencer tudo.
    ─ Estou cheia dessa lenga-lenga. Às vezes precisamos da dor.
    ─ Mas que pensamentos são esses? Não esqueça de que está na Terra e que aqui as palavras têm ressonância. Cuidado com as vibrações! Deixe os seus familiares com boas lembranças, se não, sua vinda será inútil.
    ─ Está bem, vou tentar.
    ─ Após uma prece longa entre Amélia, Luísa e Zefinha, elas foram visitar os parentes de Sebastião, o amigo de Amélia, pois Clarice havia pedido para que fossem vê-lo.
    ─ Acho que não vamos poder ir lá.
    Por quê?
   Eles estão um pouco tumultuados e você não pode se emocionar. Vamos rezar por eles aqui, perto das árvores, para enviar-lhes boas energias.
    ─ Quero ir até lá! ─ Disse Amélia.
    ─ Amélia, não seja teimosa, se digo que não pode, é porque não pode. Em outra ocasião, você os verá.
    Daqui a uns cem anos não vou encontrar nenhum deles lá...
    Falarei com o Irmão Gabriel e se ele permitir, você os verá através da de uma tela na colônia.
     Ora bolas!
     O que disse?
     Nada, disse que seria uma boa.
Após a prece, elas receberam um chamado do Irmão Gabriel. Ele pedia para que voltassem, pois teriam que participar de uma outra missão. Os irmãos de locais mais agitados estavam enfurecidos e se revoltaram novamente. Seria necessária a presença de todos em seus postos para ajudá-los. Precisariam melhorar a força elétrica da colônia para não permitir a entrada de invasores.
E por que é que nossa cidade fica tão perto desse lugar perigoso?
Já estivemos mais próximos. Agora nossa cidade está um pouco mais distante, mas ainda corre o risco de invasões. A última foi em 1950.
E o que foi que aconteceu daquela vez?
        ─ Sofremos um atentado, mas a maioria não conseguiu entrar e os poucos que invadiram não se adaptaram. Para eles o ar era muito rarefeito e não dava para respirar. Tiveram que sair da cidade. Estavam num estado de dar dó. Bem, tudo tem sua hora certa, não adianta querer o impossível.
Tem razão, nosso Pai nos deu a capacidade de raciocinar para que possamos discernir melhor.
Vamos, meninas ─ Chamou o Irmão Marcos, pedindo para que elas entrassem no transporte aéreo.
Mas ainda é cedo, quero passear mais!
Amélia, você não ouviu o chamado de Irmão Gabriel?
Quero visitar meus parentes outra vez!
Poderá sempre vê-los na tela da colônia.
Mas de lá parece mentira, não gosto de novela...
Amélia, não dificulte as coisas. Se for necessário, retornará. Agora devemos ir, Irmão Gabriel e Irmão Miguel estão nos esperando, devemos atendê-los.
Está bem, mas que chatice! Vamos logo, então.

E assim o transporte aéreo partiu rumo à colônia Novo Horizonte.

6 comentários:

  1. Bom dia VERINHA !!

    Adorei !! Ela continua a mesma ,isso é muito interessante ... será que muda ?

    Uma linda semana !! Mil beijos !!

    ResponderExcluir
  2. A personalidade continua a mesma,mas ela vai evoluir com o tempo. Assim espero.

    ResponderExcluir
  3. amiga Verinha vim desejar-te um lindo final de semana,junto dos seus queridos familiares
    receba um abraço com muito carinho,
    estou sentindo falta de sua presença enfeitando meu blog mas seja sempre bem vinda ,,
    bjs marlene

    ResponderExcluir
  4. Olá amiga querida!
    Estou realmente sumida,é por falta de tempo,eu tenho estado numa correria danada,mas tenho acompanhado essa história que é realmente maravilhosa.
    Parabéns por esse belo trabalho!
    Beijossssssssss

    ResponderExcluir
  5. Feliz dia das mães, com muitas flores e sorrisos. Aproveitando a oportunidade, vim lhe fazer um pedido. O ArcadoAutoConhecimento foi indicado para concorrer ao SELO BLOG DA SEMANA, em votação que se iniciou no dia 05/05 e ficará aberta até o dia 11/05/2011 no BLOG DO SUPER WILL. Se você quiser me presentear com seu voto, deve acessar o blog do Super Will, no endereço http://wwwwillblog.blogspot.com/. O Will é o idealizador do selo, tendo por objetivo homenagear e promover a confraternização blogueira através da troca de links, divulgação e experiências. Desde já, agradeço a gentileza e amizade.

    ResponderExcluir
  6. QUERIDA VERINHA BOM DIA AMIGA QUE DEUS ILUMINE SEU DIA DERRAMANDO BENÇÃOS SOBRE SUA VIDA PASSEI PARA DEIXAR MEU CARINHO E UM ABRAÇO AMIGO,BJS MARLENE

    ResponderExcluir